Redação

13 novembro 2018

Nenhum comentário

DCE Mackenzie segue processo democrático e elege nova diretoria

Em meio a conturbado momento político, entidade mostra a importância da organização estudantil para combater retrocessos e opressões

No próximo dia 22, será empossada a diretoria da nova gestão do DCE Mackenzie, que estará à frente da entidade no próximo ano. A Chapa Enfrente foi eleita com 892 votos e dará continuidade ao trabalho e projeto que a gestão anterior – Renovação – conduzia.
A UEE -SP conversou com o estudante de Direto do 6º semestre, Fabrizzio Moreira Baptista de Carvalho, que irá presidir o DCE, sobre os desafios da organização estudantil de uma das mais importantes universidades privadas do país, neste atual momento político.
 
Qual o maior desafio para essa gestão que se inicia? 
Tanto no DCE, quanto nos Diretórios e Centros Acadêmicos nosso maior desafio é o contato com os estudantes, fazer crescer o interesse pelo movimento estudantil e mostrar a importância das entidades acadêmicas, como elas agregam mais conhecimento na graduação e na formação.
Muitos estudantes não sabem a dimensão do poder que eles têm nas mãos, ao se unir, se encontrar, debater, conversar, projetar e fazer sonhos virarem realidades.
E como imagina que pode ampliar esse maior diálogo e aproximação com estudantes?
Seguindo essa ideia de agregar e trazer o estudante para perto do DCE e do movimento estudantil no geral, os nossos projetos se baseiam muito por isso, com mais palestras, debates, sabatinas e eventos culturais no Mackenzie, com a maior diversidade possível, e que, assim, todos se sintam integrados.
Estamos também reestruturando nossa sede física, com mais espaço para o estudante poder descansar, mais microondas para que ele possa se alimentar lá dentro também, e, assim, se sinta-se em casa.
Existe um projeto magnífico,que a gestão passada idealizou, porém não conseguiu colocar em prática, que é o “Mãe Mackenzista”: um espaço onde as estudantes que tem filhos possam deixá-los enquanto estão nas aulas, evitando trancar a faculdade. E também apoiamos integralmente o projeto da UEE-SP do Bom Prato Estudantil, que é essencial para permanência estudantil.
 
E quanto a democratização do acesso na universidade?
Estamos acompanhando bolsas filantrópicas sendo cortadas, o modelo do FIES também, então a gestão vai à luta para que a democratização no acesso à universidade, que nunca foi exemplar, não retroceda em qualquer aspecto.
Vamos fiscalizar e combater qualquer corte aos direitos que nos foram garantidos.
E como o vê diálogo com a reitoria?  
No último ano o saldo foi positivo, conseguimos um diálogo com a reitoria. Não estamos 100% satisfeitos , mas teve momentos esse ano que as decisões poderiam ser muito erradas, e o DCE conseguiu sentar com a reitoria e revereter a situação. Esse é um momento político muito conturbado, mas conseguimos manter um diálogo e vamos torcer para que isso permaneça.
Nesse atual momento político, como enxerga o movimento estudantil e atuação das entidades estudantis, como o DCE?
Além do DCE, Diretórios e Centros Acadêmicos, o Mackenzie tem muitas organizações estudantis que estão aí protegendo os estudantes, impedindo que retrocessos aconteçam.  Temos os  coletivo LGBT, coletivo femininista, Afromack, por exemplo. Recentemente, tivemos um caso de racismo dentro da universidade e a gente teve uma mobilização de 3 mil pessoas – uma proporção que ninguem imaginou – e pudemos ver com clareza a força estudantil.
O movimento estudantil  tem esse papel de não de deixar barato, de renovação e de ir contra qualquer retrocesso. Essa gestão entra com força total para dar todo apoio possível aos estudantes.
 
Há um ano o processo eleitoral do DCE Mackenzie voltou a ser democrático. Como foi esse processo, em uma gestão voltada à construção do diálogo?
Foi uma “mega” vitória a democratização das eleições do DCE do Mackenzie no ano passado e foi uma tarefa muito ádua para reconstruir toda a entidade e sua a atuação. A gestão passada teve o objetivo de arrumar a casa e os projetos que não conseguiram colocar em prática a nossa gestão vai dar continuidade.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *