admin

16 junho 2014

Nenhum comentário

Na luta por assistência estudantil

Estudantes da Fatec e funcionários marcam presença nas audiências da Comissão de Finanças, Orçamento e Planejamento

Ao que tudo indica o movimento estudantil tem mais uma importante vitória esse ano.

Desde o início do mês, os estudantes da FATEC tem marcado presença em audiências públicas em que a Comissão de Finanças, Orçamento e Planejamento debate sobre o Orçamento estadual de 2015.

 Os “fatecanos” do DCE FATEC e os funcionários do Centro Paula Souza estiveram presentes nas audiências das cidades de São Paulo, Franca, Ribeirão Preto, Bauru, São José dos Campos, Barretos, São José do Rio Preto e Americana e apresentaram o projeto e as solicitações da emenda 187 e do PLC 17.

O Sintesp (Sindicato dos Trabalhadores do CEETEPS) pleiteou a aprovação do PLC 17 (Plano de Carreira da Categoria), a verba para o plano de assistência médica, mais segurança no trabalho e investimentos obrigatórios de 33% do Orçamento na educação.

A emenda 187 faz parte da LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) do estado de São Paulo e ela deve destinar recursos para instituir as Bolsas de Permanência nas Fatecs.

Nesse ano todas as universidades públicas do Estado de São Paulo receberam 7,8 bilhões ao todo, enquanto o Centro Paulo de Souza recebeu apenas 1,7 bilhões para manter tanto as mais de 50 Fatecs, como também, 220 Etecs. Um valor extremamente desproporcional a imagem que o governo de São Paulo utiliza como bandeira eleitoral.

A verba solicitada para o próximo ano pelos estudantes é de 3,2 milhões, baseado em uma linha de corte, para que todas as unidades recebam a bolsa permanência.

O projeto de Bolsas de Permanências estudantil é uma proposta consensual entre o DCE Fatec, junto com o Centro Paulo de Souza, e se aprovado ela ajudará 670 alunos, equivalente a 1% do total de alunos da Fatecs, com além das bolsas tecnológicas para todos os cursos, os estudantes de baixa renda receberão R$ 400 reais mensais para se manterem na universidade.

O estudante de redes  da FATEC São José do Rio Preto e diretor de assistência estudantil do DCE da Fatec, Felipe Braz, explica que a bolsa de permanência é uma medida corretiva para minimizar a desigualdade social. Ela tem a função de manter os alunos que fazem parte de famílias de baixa renda nas universidades, pois muitos abandonam os cursos para trabalhar e não conseguem se dedicar aos estudos.

Para se ter uma ideia, a evasão em alguns cursos chega a 60%. Um tremendo desperdício de dinheiro público e da própria energia dos estudantes.

“É uma forma de a gente garantir as condições mínimas para que o estudante consiga manter-se durante o período” afirma Felipe.

No ato do dia 29 de maio em Mococa, estudantes, funcionários e professores das Fatec’s realizaram um ato durante a visita do Governador Geraldo Alckmin, e puderam apresentar o projeto a ele que o considerou “coerente”, segundo os estudantes que participaram.

No momento o projeto se encontra com a deputada estadual Maria Lúcia Amary,do PSDB, que fará o relatório e o encaminhará para a votação na comissão de orçamento. Os estudantes e funcionários estão otimistas quanto a aprovação do projeto e ainda não há data definida para votação.

Veja os números do Centro Paula Souza

221 – ETEC´s

56 FATEc´s

20 mil professores

3 mil funcionários

64 mil estudantes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × 3 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.