admin

11 junho 2014

Nenhum comentário

UM ANO INTENSO NA UEE SP

Manifestações, luta por democracia e mais assistência estudantil marcam o último período e os próximos passos da gestão da entidade

Prestes a completar um ano na presidência da União Estadual dos Estudantes de São paulo, Carina Vitral, aluna de economia da UNIP, comemora o intenso período de lutas e projetos em andamento que a entidade  tem passado.

Para começar, sua gestão se iniciou no dia 16 de junho de 2013, ou seja, cravada, em um dos períodos mais importantes da história recente do país: durante as Jornadas de Junho e a UEE já participou mobilizando estudantes na sede, universidades e escolas.

Seguindo, a entidade construiu dois grandes movimentos. Primeiro, na USP, ainda no ano passado, com assembleias e manifestações, sobre a democratização da universidade, com eleições diretas para reitoria e mais consultas públicas.

As diversas manifestações foram duramente reprimidas pela polícia militar.

Já no início de 2014, durante a greve dos professores e funcionários das FATEC’s, – totalmente apoiados por estudantes – , por um plano de carreira adequado, o movimento estudantil aproveitou e amplificou suas pautas, quanto ao aprimoramento da infraestrutura dos prédios e por mais assistência, como bolsas de iniciação científica.

Dessa forma, foi colocado em “xeque” todo o modelo do governo do estado para educação: que investe nas universidades estaduais (UNESP, UNICAMP E USP), porém de uma forma pouco permeável e inclusiva, e por outro lado, as faculdades de tecnologia que tem em sua maioria filhos de trabalhadores, da classe média, são administradas de forma precarizada.

Já no âmbito nacional, o movimento estudantil segue em comemoração de uma grande vitória. O Plano Nacional de Educação, que tramitava no Congresso Nacional há mais de três anos, foi aprovado e prevê 10% do PIB, destinado para a educação. Atualmente, são cerca de 4%.

Como o PNE trata-se de um programas de metas e os estudantes irão acompanhar cada passo, para fiscalizar e obter as questões aprovadas.

Passos adiante

Para o próximo período, a UEE São Paulo tem pela frente lutas intensas e que estão avançando.

A pauta estudantil das FATEC’s toma forma, e os debates avançam quanto a a Lei de Diretrizes Orçamentárias. Já no final desse mês será voltado a emenda para garantir mais verbas voltadas para a assistência estudantil na faculdade.

E é assim que se inaugura mais um período da Gestão. A luta pela assistência estudantil também vai além das Fatec’s. A UEE- SP desenvolveu um projeto voltado para as universidades privadas, que irá unir o poder público e as próprias universidades, para transformar o espaço e dar mais qualidade de vida ao estudante, como a implantação dos restaurantes Bom Prato e serviços oferecidos pelas universidades privadas, como creches para estudantes com filhos , em contrapartida às mensalidades cobradas

O projeto do Corredor Vergueiro tende a ser um exemplo, e com diversas ações garantirá a permanência dos alunos nas universidades.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × três =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.